sábado, 6 de dezembro de 2008

Cartas para a Lullis

Saudades da princesa
Um dia desses estava vendo um trecho dos “relatórios diários” que eu envio para a minha patroa onde relato sobre coisas do dia a dia, coisas dos treinamentos, coisas curiosas, coisas de finanças, coisas de trabalho [para variar], coisas da vida... A saudade é uma coisa.
Nessas mensagens tinham "coisas" interessantes.
Especificamente, nesse, tinha uma parte que revendo achei interessante e gostaria de compartilhar aqui com amigos, familiares, colegas, conhecidos e desconhecidos.

Coisas simples
Num dia desses, nos primeiros aqui, já era bem tarde e ainda não tinha jantado.
O Tayo ficou no skype falando com a sua “enamorada” e só saiu bem tarde, e eu esperando para ver o que iríamos jantar, eu já estava desesperado...
Ao sair, viu que não tinhamos muita coisa e disse:

"Está bem, está bem... vamos fazer macarronada com carne".
Até ai parece tudo ok certo? Não é nada mal macarrão com carne.
Mas quando eu vi que ele não ia usar molho de tomate... Confesso que fiquei preocupado.
Mas não é o que ele sabe fazer as coisas mesmo? Eu sempre comi macarrão com molho ou ao alho e óleo, mas sempre com alguma coisa, ervilha, carnes, alguns acompanhamentos... Agora, só carne e macarrão? Sem molho vermelho ou branco?
Fiquei receoso como seria essa janta, de certo modo dessa vez eu estava duvidando da capacidade dele de fazer algo saboroso como é de seu costume.
A receita era muito simples: basicamente macarrão e a carne.
A grande diferença está em como fazer as coisas.
Na carne, apenas tempero basico: ele frita a carne até sumir todo o caldo e começar a deixar o alho tostadinho. Só depois que está quase grudando na panela, joga-se um pouco de vinho branco e vai mexendo até ficar com a consistência adequada.
Tira a carne e joga o macarrão no molho e mistura bem.
O pior é que ficou bom demais.
Comi até.
Lição?
As coisas boas não tem que ser necessáriamente as mais dificeis ou complicadas, as vezes são mais simples do que pensamos.
Precisamos é saber como fazer.
Tem coisas que só com o tempo aprendemos. O tempo nos ajuda a ter experiencia de tornar o simples saboroso e gostoso.
Não seria a vida isso também?
Sendo simples, ser saboroso e eficiente.
Fazer do trivial extraordinário.
Do comum extrair o inédito.
Tendo poucas coisas, fazer muito.
Algo muito bom e muito eficiente.
Saber como usar o que se tem.
Saber o melhor modo de se usar os ingredientes.

Montreal, Canadá.
Quinta-feira, 27 de novembro de 2008 4:02:23

Um comentário:

Celso disse...

olha o poeta aí.... huauhauhua

ficou legal o texto