terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Um pouco da história daqui

Independência

Confesso que não entendia o porquê das pessoas do Quebec de um modo geral, não gostarem de falar inglês ou de dar preferência ao francês.
Não foram poucas as vezes que devido à minha dificuldade em estabelecer uma conversa mais fluente em francês, mudava para o inglês, nessas horas duas coisas aconteciam frequentemente: ou a pessoa me ignorava como se não tivesse me entendido ou me respondia em francês.
Claro que isso não é uma regra, normalmente as pessoas são super receptivas e até tentam ajudar, porque na maioria das vezes as pessoas percebem que sou de fora e com boa vontade conversam em inglês comigo [exceto com o Victor, o Yuri e suas respectivas esposas pois só falam francês e russo, imagine um russo que tem um alfabeto, grafias diferentes terem que aprender duas outras línguas...], muitas até com muito sotaque, dá para perceber que o inglês não é tão praticado.
No início acreditei ser uma atitude política contra o imperialismo norte americano e coisas do tipo.
De certo modo estava certo e errado.
Sim, é uma atitude política, mas não necessariamente contra o Tio Sam somente, é uma questão política de independência.
Há alguns anos o Quebec vem lutando para se tornar independente do resto do Canadá, e plebiscitos sempre são feitos. No último deu 51% contra a separação e 49% a favor...
Vários são os fatores envolvidos nesse assunto, e os candidatos que são a favor da separação do Quebec também não são poucos, para falar sobre essas parte, conversei com o Normand para me ajudar a compreender. Com vocês, Normand Raymond:

“...tem gente que quer a independência a todo custo, não importando se é de direita ou esquerda. Dizem que o primeiro passo é fazer a independência e depois a gente verá o que se pode fazer. Eu não concordo com essa visão das coisas. O Partido Quebecois (PQ) é um partido que se disse ser de centro (nem esquerda nem direita), e é social democrata separatista. Foi criado com o objetivo de obter a separação e até a independência fazendo plebiscitos (referendos) com o povo, já fizeram três plebiscitos que saíram negativos todos. Mas para mim, é um partido burguês com ideologia nacionalista, e não se preocupa tanto para o lado social ou tanto para o povo. Se preocupa mais pelos interesses da classe alta quebequense, da burguesia quebequense. Fazer a independência com eles, sería nada mais que trocar patrão por outro patrão. Aqui, as pessoas em sua grande maioria não são politizadas e não se interessam em analisar o que aconteceria, nem as consequencias, sem ter nenhum plano bem definido antes de se fazer a independencia. Quebec Solidaire (QS), é um novo partido que é de esquerda. Agora têm ganhado um primeiro deputado nas últimas eleições provinciais, esse partido tem planos sociais bem definidos para todos. Eles estão a favor da independencia só se nós quisermos, mas não é o objetivo principal como o PQ. O mais importante para QS é o bem estar da gente, investindo mais na saude, estudos, meio ambente, e melhores condições de trabalho e justiça social para o povo. Para mais informações: Québec Solidaire - Parti québécois.”

Uma das grandes justificativas [ao menos que oficialmente falam] é devido ao estado de Quebec concentrar uma grande parte de língua materna francófona.
Aliás, um dia desses estava vendo um programa de humor aqui do Canadá de desenho animado onde os candidatos eram os alvos de gozação, e obviamente o primeiro ministro do Canadá também, foi bem engraçado.
Só explicando, o Canadá é dirigido por um primeiro ministro e é dividido em três territórios e dez províncias, e essas dez províncias são governadas por outros primeiros ministros e as cidades, como Montreal por exemplo, são governadas por prefeitos.


O Tio Sam de novo...

Caramba, como são chatos.
Pois é, os dirigentes e as classes dominantes dos Estados Unidos nunca tiveram noção mesmo, até aqui eles foram [são] malas, arrogantes e cretinos.
Estava estudando um pouco sobre a história do Canadá, e eles tentaram já invadir o Canadá algumas vezes, é claro que antes de se consolidar como nação, eles conseguiram roubar territórios.
Ainda conversando com o Normancha:

“Ou comprando outros como no caso da Luisiana: Aos poucos anos depois da conquista da Nova França pelos Ingleses, Napoleão vendeu o grande território da Lusiana aos Estados Unidos só por aproximadamente 15 000 000 $ (dolares), que nessa época era muito dinheiro."

Normal né? Se pensarmos na história, veremos que já invadiram e tomaram posse de terras dos índios, primeiramente, depois dos Mexicanos, agora dos Árabes! Oras, porque o Canadá, tão pertinho, não poderia ter umas terras tomadas? E tomaram algumas sim, e tentaram até invadir, mas falharam.

“A Primeira tentativa de invasão do Canada pela nova República Americana em 1775: http://frwikipedia.org/wiki/Invasion_du_Canada_(1775), e a Guerra Anglo-Americana de 1812-1814: http://fr.wikipedia.org/wiki/Guerre_anglo-am%C3%A9ricaine_de_1812. Algumas pessoas dessa época concordam que no caso de que o Canadá tivesse outra tentativa de invasões depois pelos Estados-Unidenses, não houvesse podido resistir mais por causa do fraco número de população do país.”

Aliás, estava lembrando um dia desses como funcionam os meios de comunicação, principalmente os filmes: quando eu era um menininho, bem pequenininho, uma “quiança” [um Suguinha júnior], eu me lembro dos filmes de caubóis onde os índios malvados precisavam ser detidos pois eles escalpelavam [rasgar com escalpelo, arrancavam o couro cabeludo com o cabelo junto] os pobres mocinhos...
Mais tarde estudando um pouco de história, através de alguns livros, artigos e textos, a gente vai descobrindo outras versões [normalmente a história é sempre contada a partir da visão dos vencedores, não dos vencidos].
Na real, eram os caubois bonzinhos que escalpelavam os índios, parte da “arrecadação” era usada para fazer lindas bonecas de porcelana para as filhinhas dos grandes fazendeiros e poderosos, mas na real era um modo dos mocinhos poderem ganhar um dinheirinho justo: o chefão da área pagava por índio morto, e para comprovar quantos índios “selvagens, primatas e atrasados” eram assas... hum... ahn... digo, quantos aborígenes a menos existiam, eles deviam trazer a prova e assim recebiam literalmente por cabeça.

“Pois sim! A prática do Escalpelamento foi introduzida pelos espanhois, ingleses e franceses, simplesmente para poder pagar aos soldados e mercenários um valor para cada um dos indios mortos durante confrontos con eles. Depois os guerreiros indios retomaram essa prática só para como troféus simbólicos: http://fr.wikipedia.org/wiki/Scalpation].”

Fantástico não?

Para uma próxima vez eu conto sobre outras curiosidades sobre a colonização, histórias de guerras, invasões e mais questões culturais.

Antes que me esqueça, contei com a ajuda no Normancha para esse texto, os trechos em itálico são de autorida dele assim como as sugestões de links.

Até mais.

Um comentário:

Celso disse...

história loooooooooooooonga hahahahahhahahaha...

mas boa, culta.

sabe o que falta para eles??? 5 letras....