terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Cirque du Soleil





Bairro de Circo

O Cirque du Soleil fica entre as estações de metro Jarry e D’Iberville, mas é mais fácil descer na Jarry e pegar um ônibus.

O lugar em que se encontra é praticamente um bairro de circo: atravessando a rua você está de frente para a ENC - Montreal [http://www.enc.qc.ca/index.asp], e na direção oposta, a Tohu [http://www.tohu.ca/], e o Soleil [http://www.cirquedusoleil.com/en/default.asp] fica bem entre esses dois centros.

Sobre a ENC Montreal escreverei mais para frente.


É impossível passar por perto e não perceber esses grande prédios, de longe é possível enxergar, não tem nem como se perder. 

A sede social do CDS é realmente grande, somente de funcionários fixos que trabalham dentro da sede, são mais de mil e oitocentos, isso sem contar os artistas que chegam diariamente para ensaiar, seja para substituições ou para a criação de novos espetáculos. 


Lá dentro

Realmente impressionante, é uma grande empresa mesmo, lá dentro existem diversas repartições e seções: desde salas de reuniões e escritórios, até salas de fisioterapia e musculação, isso sem contar os três estúdios onde são feitos os ensaios e treinos dos shows que já existem e que estão em produção.


A primeira parte dos escritórios que eu conheci, foi a seção do casting.

Um grande departamento dividido em várias repartições com pessoas de diversas nacionalidades: França, Russia, Canadá, Brasil... As reuniões no pessoal do casting são semanais, apesar de todos os artistas terem contratos, sempre ocorrem substituições devido à lesões, férias, rescisão de contrato, gravidez, isso sem contar as produções dos shows novos. Eles procuram sempre manter o cadastro dos artistas que já passaram nas audições atualizados, por isso sempre é bom, para os que já foram aceitos para o casting, continuar enviando material novo em vídeo.

Existem basicamente quatro seções de casting: uma com foco mais artístico, outra de   caráter mais acrobático [seja aéreo ou de solo e aparelhos], uma mais direcionada ao trampolim acrobático e outra voltada para a área musical. 


Os Estúdios.

Depois disso descemos e fomos visitar os estúdios.

No primeiro estúdio estavam ensaiando os números novos para o Cirque 2009 [nome provisório do novo espetáculo]. 

O primeiro número que vi, era de autoria do pai de Roman Tomanov, para quem não sabe, é aquele garotinho que no DVD do Solstrom volume 4 [se não me falha a memória] faz um número absurdo nas faixas aéreas; mas o número que eles estavam ensaiando era... Complicado... Era uma mistura de vôos, com maca russa e banquine, o balanço do porteur também servia como maca russa, e no meio da rede havia uma estrutura onde ficava dois caras recebendo e jogando os volantes, depois subia a estrutura e ficavam só os balanços, olha... Sem palavras. 

Ok, os volantes tomaram uns chão sim, foram para a rede algumas vezes. 

Depois dois outros lançadores pegaram um volante chinês, que tinha vindo do trampolim, e ficaram treinando banquine com ele até a hora que eu saí de lá. 

Depois tinha ainda um chinês andando sobre as mãos na corda bamba, impressionante, só isso.

Infelizmente aqui não podia tirar fotos.


O segundo estúdio 

Aqui também não podia tirar fotos, mas tudo bem, pelo menos pude ver.

O estúdio central, era o maior, era onde eles faziam uma réplica idêntica ao palco do show novo, com tudo: toda a parte de estrutura, iluminação, parte de som, contra regragem, máquinas...

A parede parecia ser algo como as paredes de escaladas indoor, haviam coisas que pareciam agarras. No meio do palco haviam duas camas elásticas no nível do palco [era só a estrutura do trampolim, não ele em cima do palco] e algo que achei bem interessante: um fast track em direção ao público, como se fosse uma pista. 

Haviam diversos funcionários e engenheiros trabalhando, foi uma pena não poder ficar passeando lá dentro e poder ver mais de perto, eles estavam todos correndo muito e trabalhando, consertando, arrumando, conversando, fazendo cálculos... Estava com muita curiosidade e vontade de perguntar mais coisas mas não foi possível.


O Terceiro Estúdio

No terceiro e último estúdio eu pude tirar fotos! 

Nele eram ensaiados os números antigos, de shows que já existem. Estavam lá a cama elástica do Dralion e La Nouba, os mastros do Saltimbanco e Mystère, os lustres do Corteo, uma pista de fast track ao fundo e uma maca russa de frente para um grande fosso. 

Desnecessário dizer que todos os estúdios eram muito espaçoso, com grande altura e com muitos materiais de segurança.


Ainda não tínhamos visto nem metade da sede.


Longa jornada ainda pela frente...


Um comentário:

Julia disse...

Suga! Impressionante! Só de ler fiquei extasiada! Quero ver as fotos! Obrigada pela visita no meu blog! Vou adicionar seu blog no meu, quando aprender a fazer isso... Hehehe... Bom, saudades, pessoa de verdade.
Beijos de outra pessoa de verdade!