domingo, 14 de novembro de 2010

Estamos enterrando nossos... Talentos?


Jesus tinha algumas características bem peculiares.

Uma delas era que o seu modo de viver com as pessoas e colocar em prática a essência da bíblia e ensinar o Seu modo de viver, era [entre outras formas] através de parábolas.

Ou seja, para termos uma compreensão da essência desses ensinamentos, temos que lê-los e compreendê-los no contexto em que estão inseridos e saber que são parábolas, e que Jesus tinha um carisma incrível [ok, era Deus, isso conta muito...] e era um grande contador de histórias, ou seja, um professor, um rabi, um mestre.

Nessa parábola conhecida como “Parábola dos Talentos”, traz alguns aspectos da vida muito interessantes e que, todos nós, uns mais outros menos, nos encaixamos.


Resumidamente, essa parábola trata do seguinte:


Um determinado senhor, antes de fazer uma viagem dividiu seus bens entre seus três funcionários, dando para um 5 talentos, a outro 2 e para o último 1, segundo a capacidade de cada um deles.

E depois de um tempo retorna, e na volta ele quer saber de cada um o que aconteceu com o talento que foi deixado com cada um deles.

O que tinha 5 conseguiu ganhar mais 5 assim como o que tinha dois talentos, conseguiu negociar com eles e ganhar outros dois.


Mas o que tinha recebido só um, simplesmente escondeu debaixo da terra o que tinha recebido para cuidar.


O senhor desses funcionários ficou muito feliz com os dois primeiros e decepcionado com o terceiro.

E este, acaba sendo castigado.


O que isso nos diz respeito?


Tudo.


Antes de mais nada, talvez algumas informações possam ser úteis para uma melhor compreensão do que foi lido:

1 talento = 6 mil denários [moeda corrente da época] = equivalente a aproximadamente 20 anos de trabalho.


Bom, com isso já dá para perceber algumas coisas não?


Acredito que não cabe aqui dissecar totalmente o texto da parábola e fazer análises textuais, históricas ou preciosismos acadêmicos, vamos tentar ser mais simples e diretos.


Todos nós, num maior ou menor grau, somos iguais ao terceiro funcionário.

E em alguns momentos da nossa vida, somos idênticos.


Poderia começar falando aqui dos nossos “talentos”.

Apesar de originalmente, essa palavra ser referência à uma unidade de medida financeira, essa palavra também significa dom natural, habilidades, aptidões e até mesmo capacidades diferenciadas e únicas.


O que nós fazemos com nossos “talentos”?


Muitas vezes não somos assim também?


“ahhh... mas isso é injusto... pô meu! olha só: o cara ficou com medo! você não leu que ele disse que o Senhor dele era duro e bravo... isso foi injusto!”


Grande equívoco.


Pense comigo:

Você acha realmente que alguém, por mais rico de fosse, daria para qualquer um a quantidade de dinheiro equivalente a 20 anos de trabalho?


Vamos brincar? vamos considerar o salário mensal de um trabalhador de um país justo socialmente e coerente, o nosso Glorioso.


Salário Mínimo: R$ 510,00


Um ano de trabalho: R$ 6.120,00

Vezes 20 anos: R$ 122.400,00


Valorzinho razoável não?


Esse trabalhador, foi extremamente negligente e errou feio e não só em um único aspecto, mas em vários!


Como alguém pode confiar tanto dinheiro a seus funcionários e ser duro? ser alguém implacável, ruim, mal intencionado?


A partir daí já podemos ver o primeiro erro desse funcionário”


  • não conhecia realmente seu chefe, seu líder.


Aqui não cabe a desculpa de ser “novo funcionário”, seria uma justificativa estúpida contra o texto, uma vez que pela lógica, para ser alguém de confiança, deve ter um bom tempo de vivência. Ou seja, a desculpa do funcionário é extremamente esfarrapada.


Quais foram os equívocos cometido pelo funcionário?


  • negligente: não teve o mínimo cuidado necessário com algo de valor que não era dele;
  • não valorizou o que tinha: como ter tanto em suas mãos e não fazer nada? nem o óbvio que seria colocar num banco, ele o fez! [ver Mateus 25.27] Talvez tenha pensado: “Ah, Ele deu 5 talentos para um 2 para outro... 1 para ele não é nada!;
  • Improdutivo: simplesmente esconder algo na terra, que NÃO É para ser feito... [uma semente foi feita para ser enterrada, não dinheiro...];
  • “em cima do muro”: talvez ele tenha achado que ao enterrar o talento, ficaria numa posição neutra [como alguns políticos nossos] e se algo desse errado, não precisaria se desculpar, uma vez que ele NÃO TOMOU ATITUDE NENHUMA.
  • Sem o mínimo de iniciativa: mostrou descaso total com a função que lhe foi destinada.



“Poxa vida... e se ele realmente não conhecesse seu patrão? E se ele realmente acreditou que o senhor dele era assim?”


Ok, se ainda assim, quisermos pensar nesse argumento, podemos ver que ele tinha algum problema, porque ficar tanto tempo com uma pessoa e ter uma visão distorcida dela... é algo no mínimo complicado.


Poderia ficar aqui falando de diversas habilidades que nós mesmos reclamamos:


“como gostaria de ser rico...” [oba!]

“nossa! como sou fraco... não sou forte!”

“puxa vida... sou tão duro! gostaria de ser flexível!”

“não levo jeito para música... não toco tão bem quanto gostaria.”

“como gostaria de ser mais espiritualizado...”

“eu gostaria de ser mais inteligente...”

“sou alto/baixo demais...”

“sou gordo/magro demais...”

“tudo é chato, é difícil, é complicado...”

“não vejo graça em nada, não tenho interesse em nada...”

“nossa... não sei se caso ou compro uma bicicleta!”


... e por aí vai...


Mas na verdade, tenho em mente, um talento, um dom, que TODOS que estão lendo essas palavras, tem:


O DOM DA VIDA.


Muitas vezes reclamamos da nossa vida, resmungamos do nosso trabalho, da faculdade, do vizinho, da sogra, do cachorro, do motorista do ônibus, da tia da cantina, do banco, do amigo, da vendedora, do padeiro, do açougueiro, da internet, do... da... e... enfim...


O que estamos fazendo com nossas vidas?

Estamos enterrando nossa vida?

O que realmente estamos fazendo de produtivo com ela?

Estamos fazendo ela multiplicar, dar frutos?

Quais desculpas nos temos para nos justificar de tudo?


Até quando?


Que não enterremos nossos dons, nossos talentos.


Ela é o maior valor que temos, que nos foi dado.


Não enterre sua vida.


Ame-a.


Observação:

Para melhor entendimento dessa parábola, conferir:

Mateus 25. 14 - 30

E depois de estudar, comparar com:

Lucas 8.18, 16.10

Mateus 13.12

Marcos 4.25


quarta-feira, 23 de junho de 2010

A Família de Polyanna

A Família de Polyanna pede socorro!
[extraído do blog da Glória Perez]

Ela tinha 26 anos, estava casada há poucos meses, vivendo essa felicidade toda que você vê na foto. Saiu de casa numa manhã comum, para dar uma palestra aos alunos de publicidade da PUC-GO. E não chegou lá. Seu carro foi encontrado queimado, e seu corpo, longe dali, muito machucado e com sinais de luta.

Aconteceu em setembro de 2009, e até hoje não se chegou à autoria. Dá pra imaginar como se sente a familia da Polyanna? O que eles pedem, e tem todo direito de pedir, é investigação.

Em casos assim, a imprensa tem um papel decisivo: cobrar, para não deixar cair no esquecimento!

Eu lamento muito que o “Linha Direta” tenha saído da grade da Globo. Prestava muitos serviços, quando divulgava casos dessa natureza. Mesmo quando não se tem a identidade do criminoso, há que se considerar que alguém sempre terá visto alguma coisa que conduza a ele. E a insistencia na cobrança ajuda a encorar essas pessoas a falar.

A Priscila, irmã da Polyanna, escreveu desabafando:

"...minha irmã a Polyanna Arruda Borges, foi morta em setembro dia 23 do ano passado, de lá para cá vivemos numa guerra… Um luto eterno, pois não podemos, falo por mim e pela minha família, chorar e seguir adiante com a saudade sem tamanho que temos da Polyanna. Temos que viver na luta de achar os verdadeiros culpados e o porquê fizeram isso com minha irmã. Nada sabemos…

Minha irmã saiu de casa no dia 23, uma quarta feira, ela iria dar uma palestra para estudantes de publicidade da PUC/GO, pois ela apenas com 26 anos já era sócia-proprietária de uma das agências mais respeitadas de Goiânia. Isso era 7:20 Glória… 7:20 da manhã, e depois de sua partida para esssa palestra não sabemos ao certo o que aconteceu. Seu carro foi encontrado em chamas num bairro distante do local da palestra, isso ás 10:20 e esse dia foi o pior dia da minha vida… Recebemos a notícia que seu carro havia sido encontrado, mas a Polyanna tinha desaperecido, passei dia inteiro na delegacia, tentando ajudar a polícia, dando informações, vendo policiais bocejando enquanto contava sobre a Polyanna…Escutando piloto de helicoptero dizendo que estava a procura de urubus para encontrar a minha irmã…

Foi terrível, tinha a esperança que um sequestrador ligasse pedindo resgate, mas nada… No dia 24 ás 19h recebemos a notícia que tinham encontrado a Polyanna, mas morta a tiros…No seu velório o caixão teve que ser todo lacrado, pois além do seu corpo ter passado muito tempo na terra, na chuva, ela estava muito machucada pelos assassinos. Glória, ela é linda, um sorriso que abria meu sorriso e um abraço que me dava cocégas… Agora estou nessa peleja de lutar para ter Justiça, pois como falei nada se sabe…

A polícia parece não ter competencia para investigar o caso, estamos agora pedindo SOCORRO, porque é desesperador imaginar que os culpados por ter arrancado um pedaço da minha família esteja solto, não seja punido… Sei que você pode nos ajudar e percebemos que quando movimentamos a imprensa o caso da Polyanna não fica esquecido, é uma loucura tudo que estamos vivendo. Fomos já em vários políticos, secretario de segurança, Ministério público, e ouvimos sempre as mesmas promessas, mas nada de concreto temos."

Priscila Borges

Leia mais sobre o caso


terça-feira, 22 de junho de 2010

Desabafo de uma irmã...

O caso da Polyanna Borges (minha irmã, pra quem nao conhece, que foi assassinada há quase 9 meses) ainda não foi desvendado, ainda nos questionamos, lamentamos, sofremos, sempre sentiremos o vazio e o sentimento de impotência, mas o sentimento de busca por justiça se aflora a cada dia sem respostas e isso podemos mudar buscando e clamando justiça. AJUDE! DIVULGUE!
Você que a conheceu eu sei que nunca se esquecerá e está na ativa junto neste caso, mas você que só ouviu falar,ou não conhece, como disse, o caso ainda nao foi solucionado, nos ajude a mantê-lo no dia-a-dia da polícia até que seja resolvido.

Segue um apanhado de links de trechos do caso, nao se esqueça, e sinta-se encorajado a lutar por justiça e principalmente por mudança!

Busca por Justiça em sites de relacionamentos: PARTICIPE! DIVULGUE!

http://www.youtube.com/watch?v=dmMFLuzGcQ8

http://pt-br.facebook.com/people/Tania-Borges/100000337670598

http://twitter.com/justicapolyanna

Passeata, outdoor, panfletos e materias na mídia:

http://www.mp.go.gov.br/portalweb/conteudo.jsp?page=1&base=1&conteudo=noticia/ebdcabd5a763ff4940440fa80557b867.html

http://lcdm0202.wordpress.com/2010/01/14/polyanna-e-se-fosse-com-voce/

http://blog.brunacelia.com/2009/12/polyanna-o-jogo-do-nao-estou-contente.html

Polyanna criou um site (www.amigoinedito.com.br) onde as pessoas postam depoimentos de atitudes simples que contribuem para fazermos e vivermos em um mundo melhor, dê o seu depoimento por simplesmente ter contribuido com essa corrente repassando essa campanha.

Muito Obrigada!

Ludmilla Borges

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Carta de um esposo... "E se fosse com você?

Goiânia, 26 de novembro de 2009.

Meu nome é Thiago. Minha esposa foi assassinada no dia 23 de setembro de 2009. Polyanna Arruda Borges Leopoldino, uma publicitária de enorme talento, uma pessoa de bem e uma cidadã exemplar. Ela amava a vida. Ela produzia crescimento e arte para a sociedade. Incentivava empresários e estudantes, se preocupava em ajudar pessoas carentes, tinha uma vida íntegra, dedicada ao bem ao próximo e à fé em Deus. Tinha sonhos para realizar, queria ter filhos e criar projetos de boas ações para tornar o mundo melhor.

O motivo dessa carta não é apenas compartilhar com você a minha dor. Quero dividir sim o vazio que é perder uma pessoa amada de forma tão cruel. Mas o motivo maior é dizer pra você que isso acontece todos os dias ao nosso lado, mas a gente finge que não vê e continua seguindo em frente sem fazer nada para promover mudanças.

É, mas agora aconteceu comigo. Minha esposa foi morta cruelmente com 8 tiros, sem motivo algum. Ela foi abordada quando ia para a Universidade Católica de Goiás palestrar para jovens universitários sobre empreendedorismo, consciência ambiental e social, lema da agência de propaganda que ela criou e liderou com muito talento e amor por 5 anos.

Há 2 meses a polícia investiga o caso, mas ainda não tem respostas.

E se fosse com você? Se tivessem matado sua esposa, seu esposo ou sua filha? Como você se sentiria? Como seria o seu Natal esse ano? Como seria a sua vida daqui para frente? Você pode se por no meu lugar por um minuto?

Só de imaginar dá calafrios não é…

É, hoje eu sinto na pele, na alma e no coração como é o mundo que a gente vive. E eu, que mudava de canal pra não ver violência no noticiário, agora vivo isso 24 horas por dia. Minha vida perdeu o sentido, eu perdi minha mulher que amava e agora não posso mais mudar o que já aconteceu.

Mas amanhã, meu caro amigo ou amiga, pode ser você ou alguém que você ama a próxima vítima!

Será que não podemos fazer nada pra tentar mudar isso?

Será que a corrupção e a violência são maiores que a fé e a vontade de fazer o bem nesse mundo?

O meu apelo é para que não mude de canal ou tape os ouvidos. Leia essa carta, reflita, sofra um pouco a minha dor se for possível. Veja o que acontece dentro de você, dentro da sua casa. Muitas vezes o crime começa dentro dela. Nós, a classe média, a classe intelectual, por incrível que pareça, sustentamos esse mundo de drogas, tráfico, armas, roubo, corrupção e impunidade.

Abram os seus olhos de uma vez!

Vamos deixar de ser hipócritas e pelo menos uma vez na vida olhar para o que acontece diante dos nossos olhos.

Minha vontade é de lutar em união com aqueles que desejam um mundo mais seguro para nossas famílias, infelizmente ainda não sei como. Talvez só de falarmos sobre isso já estejamos dando o primeiro passo. Então você empresário, jornalista, publicitário, funcionário público, estudante que estiver lendo essa carta, abra os olhos, abra a boca, reclame da nossa situação. Ajude-me a dizer pra todo mundo que nós não queremos mais viver à mercê da injustiça, da impunidade, da violência e da corrupção do nosso país.

Desculpem o desabafo.

Obrigado.
Thiago Leopoldino

domingo, 20 de junho de 2010

Casting - Cirque du Soleil

O Cirque du Soleil é uma importante organização, sediada em Montreal, Canadá, que oferece entretenimento artístico de alta qualidade. A empresa conta com mais de 4 mil empregados vindos de 40 países diferentes, incluindo mais de 1.200 artistas. O Cirque du Soleil trouxe encantamento e alegria a cerca de 90 milhões de espectadores em mais de 200 cidades nos cinco continentes.


Você é MÚSICO PROFISSIONAL e procura um novo lugar para a sua paixão? O Cirque du Soleil está oferecendo oportunidades de carreira para instrumentistas e cantores! Se você sabe trabalhar em equipe, tem a mente aberta, e está pronto para viver uma nova aventura, talvez exista um lugar para você em um dos nosos 21 espetáculos atuais ou nos outros que estão por vir! Nos nossos espetáculos, a música é tocada ao vivo, com composições originais, que foram cuidadosamente selecionadas para acompanhar cada ato. Nossos músicos devem estar sempre preparados para reagir ao imprevisível das performances ao vivo, fornecendo um acompanhamento contínuo da ação no palco. Incluindo todos os espetáculos o Cirque du Soleil emprega atualmente 142 instrumentistas e 45 cantores.


O Cirque du Soleil está a procura de:


· CANTORES (Tipos de vozes: Soprano, Mezzo, Tenor e Contra tenor. Estilos: Lírico, Rock, Soul/R&B, Gospel, Pop e Étnico)

· MAESTROS INSTRUMENTISTAS(Músicos que tem capacidade de dirigir e tocar simultâneamente)

· INSTRUMENTOS DE TECLADO (Piano, teclados e acordeão)

· INSTRUMENTOS DE PERCUSSÃO (Bateria e percussão: Clássica e popular )

· INSTRUMENTOS DE CORDA (Violino, violoncelo, guitarra, baixo elétrico e acústico, viola da gamba e multi instrumentistas)

· INSTRUMENTOS DE SOPRO (Saxofone, trompete, trombone, oboé, flauta doce, fagote e multi instrumentistas – sobretudo saxofonistas/tecladistas)


Qualificações exigidas para os instrumentistas


Muito boa técnica em um ou vários instrumentos

Excelente interpretação de diversos estilos musicais (clássico, pop, rock, jazz e internacional); ou seja, a capacidade de combinar todos os gêneros e estilos

Musicalidade e excelentes habilidades em improviso;

Boa presença de palco

Para os Maestros: grandes conhecimentos musicais, sólida liderança, conhecimentos tecnológicos e capacidades de gestão.


Qualificações exigidas para os cantores


Excelente técnica vocal e bastante experiência profissional.

Versatilidade; ou seja, a capacidade de combinar vários gêneros e estilos

Forte presença de palco

Musicalidade



Para mais informações visitar os link seguintes :


Instrumentistas - Inscrever-se Online

Cantores - Inscrever-se Online

Vozes Masculinas

Vozes Femininas



Ambiente de trabalho: Porque fazer parte do Cirque?


Carta de uma mãe em busca de respostas

"Querido pastor Caio Fábio,

Eu sou uma mãe que acaba de perder uma filha linda, maravilhosa de 26 anos, com apenas cinco meses de casada... Hoje faz sete dias que a perdemos...

Ela era poesia, cor, música e sensibilidade...

Nós somos uma família que conheceu Jesus quando as nossas três meninas tinham entre três e oito anos. Passamos por grandes lutas e desafios e congregamos na Igreja Presbiteriana do Setor Sul de Anápolis com o Pr Ronaldo Cavalcante.

Caio Fabio, seguimos os seus passos todas as vezes que você esteve por aqui.

Quarta feira passada por volta das 13 horas meu marido me falou que tínhamos que ir para Goiânia porque a nossa filha do meio, a Polyanna, tinha desaparecido...a minhas pernas sumiram....mas eu levantei e entrei no carro para ir para Goiânia pois ela morava lá e estava casada e feliz.....

Apenas com 26 anos a publicitária mais conhecida da cidade por causa da sua alegria e capacidade de incentivar empresários a acreditarem em seus próprios negócios.

Os homens da família foram para a delegacia... e nós as mulheres da família ficamos 30 horas orando, clamando a deus e esperando o pedido de resgate, tendo em vista que o caro já havia sido encontrado com seus pertences dentro e o mesmo havia sido queimado para apagar provas e digitais, dificultando o trabalho da policia...

Oramos sem cessar e ouvimos, e lemos a Palavra; e tivemos a certeza de que o resgate seria pedido e esperamos que ela voltaria para nós e com sua tremenda capacidade poética e criativa e como uma menina apaixonada por Jesus ainda escreveria um livro para promover quebrantamento e conversão em muitas vidas....

A única palavra que eu queria ouvir nestas 30 horas de vigília e emoção, aflição e angustia profunda era: "a encontraram"...; ou um toque de telefone com o com o pedido de resgate...

Finalmente alguém entra naquela casa onde estávamos amigos e parentes amontoados na sala escorregando do sofá para o chão, então ouvimos: "achou", mas foi encontrada morta com dois tiros...

Acabei de ler sobre o amor de pai que agradece a deus por saber que seu filho, para ficar livre desse mundo, tenebroso chamado por Jesus... Não consigo neste momento ter este sentimento de gratidão porque tendo certeza de que não era esse o desejo dela também...

Nós todos estávamos fazendo uma campanha de oração e eu sei quais eram os planos dela para o futuro... Planos de paz, de criação, de crescimento, para que o mundo conhecesse o talento gratuito que deus lhe deu...

Não posso considerar que a minha não aceitação é egoísta... ela queria viver aqui com o seu querido marido a lua de mel que a esperou por 8 anos, ela queria ter filhinhos e levá-los para jogar bola com o avô que não teve meninos, só meninas, ela queria realizar sonhos comunitários.

No ano passado ela criou um site: www.amigoinedito.com.br para movimentar os internautas a fazerem boas ações e registrarem seus depoimentos neste site.

E agora... Eu entendi a resposta que deram para o "mano", mas voltar a falar com deus esta difícil demais...

Ainda não sabemos quem foi o sujeito que atirou nela, mas eu não posso acreditar que foi vontade de deus... se foi o ódio do inimigo das nossas vidas eu pergunto por que Jesus deixou assassinos interromperem a caminhada de uma mensageira de Deus ???


Resposta:
Minha irmã amada: Graça e Paz!


Do meu ponto de vista...
Adão não deveria ter pecado; Caim não deveria ter matado Abel;
os filhos de Caim não deveriam ter construído Babel;
Cão não deveria ter "abusado" na nudez do pai, Noé;
Abraão não deveria ter gerado filho de sua serva, Hagar;
Jacó não deveria ter enganado Esaú e nem Esaú deveria ter trocado a "bênção" por um prato de lentilhas;
os filhos de Jacó não deveriam ter traído José;
Moisés deveria ter entrado na Terra de Canaã;
a filha de Baraque não deveria ter sido morta pelo voto do pai;
Sansão não deveria ter morrido daquele jeito;
Davi não deveria ter surtado nunca; e, por isto, não deveria ter perdido nenhum filho;
Isaías não deveria ter sido serrado pelo meio;
a mulher de Ezequiel não deveria ter sido morta como parábola para ensinar os incrédulos;
Oséias não deveria ter sido tão infeliz no casamento;
os inocentes deveriam ter sido poupados em todas as chacinas;
nenhuma criança deveria ter morrido pela ambição dos adultos;
nenhuma mãe jamais deveria ter comido seus filhos no auge da fome;
João Batista deveria ter vivido vida longa e honrada, ao invés de acabar sem cabeça em razão de uma bunda bonitinha;
Jesus, O Verbo, A Palavra, não deveria ter sido morto;
a Ressurreição não deveria ter sido tão discreta...
os apóstolos, como Tiago irmão de João, não deveriam ter sido mortos por nenhum capricho [e todos foram...];
Paulo não deveria ter sido morto justamente quando os cristãos mais precisavam dele;
milhares de testemunhas também nunca deveriam ter morrido uma morte sem sentido, banal;
enquanto os maus prosperam; enquanto a injustiça foge do juízo; enquanto a verdade é pisoteada; enquanto a maldade se torna poder; enquanto gente boa some... sem explicação...

Sim, entregue a minha visão menor do que a de uma ameba e mais egoísta do que eu mesmo consigo discernir a profundidade do egoísmo, eu poderia consertar o mundo; impedir todas as injustiças; ajudar Deus a ser Deus; determinar o melhor pro mundo, pros meus filhos, pra minha vida; enfim, eu, entregue a mim mesmo, seria tão cheio de boas idéias..., que ninguém que eu amasse morreria; sim, ninguém...; e se morresse seria com meu consentimento, entendimento, compreensão e apoio a Deus na Sua soberania!...

Ah, se eu fosse o Deus do mundo ninguém morreria; ou, então, ninguém que eu gostasse; e, da minha casa, certamente ninguém morreria; não enquanto eu estivesse vivo...

Eu, todavia, há muito aceitei e vi que de fato não vejo; percebi que de fato não discirno; entendi minha limitação de entendimento; constatei que meu melhor amor é ainda por mim mesmo e por meus sonhos; aprendi que meus amores são "meus" e por "minha causa"; pois, morre o vizinho, e não sinto; morre o jovem da esquina, e logo esqueço; milhares são vitimados, e eu apenas lamento; o mundo acaba em vários lugares da terra, e eu agradeço que não seja AQUI...; e, aqui, é onde moro, vivo; e AQUI não posso conceber que aconteça o que no mundo inteiro acontece...

O que não dá é para sofrer em nome de sua filha os sofrimentos que ela não está sofrendo...

Sim, pois você queria ver a sua filha casada e feliz no casamento; tendo filhos; se realizando profissionalmente; etc... Esses são os seus sonhos e um dia foram os dela... Mas saiba: AGORA já não são [...] mais sonhos dela, mas apenas seus [...] por e para ela...

Hoje, para ela, o melhor marido é nevoa perto da Glória; a melhor lua de mel é amarga se comparada à alegria dela; os filhos mais lindos são miragens quando comparados aos encontros de amor que ela está tendo; as realizações profissionais que lhe orgulhariam, hoje, agora, para ela, são as canseiras e os enfados que cessaram...

O problema é que você não teve tempo para se realizar nela!...

É claro que a dor é indescritível... E ninguém pode dizer que não conheço tal dor... Mais de uma vez...

Todavia, é como pai que perdeu filho; como filho que perdeu pai; como irmão que perdeu irmão; como amigo que já perdeu milhares de amigos, que lhe digo que meus sentimentos seriam todos como os seus, não fosse o fato de que discerni faz tempo, que a maior dor dos enlutados é ainda egoísmo pelo outro [...] cuja alegria está plena, mas não a nós...; e, também, vi que tais sentimentos são todos o resultado de minha vontade de me ter nos meus filhos, de me reproduzir neles e assistir tal fato; ou seja: descobri com toda honestidade que minha frustração era não poder gozar a vida neles [...], nos que foram...

Entretanto, hoje, o que lhe digo parece sem coração e fácil de dizer...

Mas não é...

O que é então que me faz dizer o que digo?...

Ora, é a simples coerência com a fé que professo; é a simples coerência com Jesus; é a simples coerência com a existência que mata os homens dos quais o mundo não é digno; é coerência com João Batista, que não era inferior ao meu filho Lukas, e, mesmo assim, morreu por um capricho...

O que posso lhe dizer é que somente a transcendência da fé que se projeta para a Vida que é, sim, somente tal poder pode nos fazer vencer tal dor; a qual, por mais legitima que seja, sempre mistura amor e egoísmo; sempre mistura fé com privilegio; sempre crê que a vida eterna é uma belezinha apenas para quando a gente estiver caquético...

Leia os evangelhos e veja se é justo você pensar que a vida dos discípulos de Jesus esteja para além da calamidade!...

Sei que no momento minha resposta chega a você como vinagre na ferida... Infelizmente, no entanto, não tenho consolações vazias; e nem digo a ninguém o que Jesus jamais disse... Jesus nunca consolou ninguém dizendo "Que Pena! Tão Novinho!"...

Na realidade, ao olhar o mundo, mais creio e internalizo como verdade a declaração que diz que é preciosa aos olhos do Senhor a morte dos Seus santos!...

O que eu digo [...] você não entende agora, mas compreenderá depois!...

É justo e sadio chorar os nossos amados...

O que não é certo é perguntar por que em mundo que mata tanto todos os dias, gente que amemos também possa e venha a morrer?...

Além disso, o fato de ter sido um seqüestro seguido de assassinato, do ponto de vista de Jesus, não muda nada; posto que Lhe tenham falado das desgraças e maldades praticadas por Pilatos, ou do acidente idiota na Torre de Siloé, e, a tais narrativas, Ele não acrescentou nada em especial; visto que Dele não se tenha havido um "Oh!"; ou um "Ô"; ou um "Que coisa!"...

Não! Ele apenas disse: "Se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis!"...

O fato é que Jesus não tem misericórdia e pena por ninguém que esteja partindo desse mundo para a morada do Pai!

Você teria?...

Sinto saudades... Choro... Abraço as memórias... Beijo meu filho no meu coração todos os dias... Mas não o traria de volta se pudesse... Sim, jamais desejaria a ele tal maldade de tê-lo de volta a esse mundo, uma vez que dele meu filho esteja livre para sempre...

Você acha mesmo que o sucesso Publicitário é para comparar com o nome dela publicado no Livro da Vida?...

Seu olhar está enterrado neste mundo, e, por isto, fica impossível hoje para você o alegrar-se na Glória de Deus!

Entretanto, eu lhe digo:...

Se tais "perdas" não nos projetarem para Deus pelo menos pelo afeto eternizado por filhos que já se foram para a Casa Eterna, pergunto: quando então se amará a eternidade ainda vivendo neste mundo?...

Será que um crente só deseja e celebra a eternidade quando o câncer já comeu tanto os órgãos, que a dor é tão desesperadora que a pessoa quer ir para Deus não por Deus, mas apenas para ficar livre da dor?...

É mesmo assim?...

Deus é apenas uma alternativa ao desespero da dor sem cura neste mundo?...

Ora, se é assim Deus ainda não é amado por nós!...

Chore! Chore! Chore! Pois dói demais!...

Mas chore enquanto vê sua filha em Glória; e, portanto, ao chorar, chore por você e não por ela; posto que se ela visse você lamentando a gloria dela, ela lhe diria:

"Mãe! Você não viveu para a minha felicidade?... Então, por que se entristece com minha plenitude em Deus?"

Além do que já disse, não tenho nada para dizer a ninguém e nem a você, minha amada irmã no Evangelho e no luto!...

Entretanto, sei que somente o Espírito Santo pode tornar alguém apto para discernir [...] e se consolar com tais realidades invisíveis...

Oro por você e pela sua casa... Oro pelo seu genro... Oro para que vocês se gloriem na esperança da glória de Deus, conforme se mande que seja para quem de fato crê em tudo o que confessa como fé em tempos de bonança...

Receba meu amor e minha solidariedade!

Nele, que ama nossos filhos mais do que em nosso egoísmo a gente consegue conceber o que seja amor,

Caio
30 de setembro de 2009
Lago Norte

Fonte/Link: http://caiofabio.com/2009/conteudo.asp?codigo=05359

quarta-feira, 31 de março de 2010

Programação do Centro de Memória do Circo

Pessoal querido,

Para quem curte artes, principalmente circo, teatro e cinema, vai rolar nas próximas semanas um ciclo de curso e filmes comentados por grandes pesquisadores e pensadores das artes.

O curso é gratuito [\o/] e os cines debates terão o valor simbólico de um real, sim 1 real [R$ 1,00]

Divulguem!

Onde fica?

Centro de Memória do Circo

Galeria Olido - São Paulo

Av. São João n.473 - térreo [próximo à estação República de metrô]

telefone: (11) 3397 0199


Inscrições:

(11) 3397 0177

contato: memoriadocirco@prefeitura.sp.gov.br

Divulguem! Participem!

abraços


CURSO - O CIRCO E O MODERNISMO BRASILEIRO: VERTENTES E DESDOBRAMENTOS

Distribuído em três etapas, o curso pretende situar o universo do circo, destacar características específicas e modos de ser dessa arte popular, de sua linguagem gestual e verbal, visando caracterizar a representação dos palhaços. O interesse é o de relacionar essa vertente fecunda da cultura popular com diretrizes das vanguardas européias do século XX e acentuar a importância do circo no âmbito do modernismo brasileiro na década de 1920.

Nessa discussão serão focalizadas obras de diferentes artistas no campo da pintura, cinema, literatura. Em relação à literatura e à crítica, serão destacadas obras de Oswald de Andrade e de Mário de Andrade, textos de Yan de Almeida Prado, Decio de Almeida Prado, Paulo Emilio Sales Gomes. Nesse contexto, distingue-se ainda a presença no Brasil do poeta fraco-suíço Blaise Cendrars, primeiro a reconhecer o talento do palhaço Piolim.

Professora: MARIA AUGUSTA FONSECA

Profa. Livre-Docente do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada FFLCH - USP , autora dos livros Palhaço da burguesia - Serafim Ponte Grande e o universo circense. São Paulo, Polis, 1979, Oswald de Andrade - Biografia. São Paulo, Globo, 2008, 2ª edição

Datas: 9, 16 e 23 de abril de 2010, das 14h30 às 17h30.

Número de vagas - 20

CINE-CIRCO COMENTADO

DIAS 9, 16, 22 e 29/4, SEMPRE ÀS 18H30

IDADE RECOMENDADA: 10 ANOS

ENTRADA FRANCA


Macunaíma - Dia 9 de abril

(Rio de Janeiro, 1969, 35mm, cor, 105' - exibição em DVD)
Direção: Joaquim Pedro de Andrade
Elenco: Grande Otelo, Paulo José, Jardel Filho, Milton Gonçalves
Macunaíma é a história de um anti-herói, ou um herói sem nenhum caráter, nascido no fundo da mata virgem.

Após a sessão, Maria Augusta Fonseca, professora de literatura, autora de "Palhaço da Burguesia" e da biografia de Oswald de Andrade, vai comentar o filme, destacando aspectos circenses da obra.

SUA MAJESTADE PIOLIN - dia 16 de abril

(São Paulo, 1971, cor, 13' - exibição em DVD)

Direção: Suzana Amaral
O palhaço Abelardo Pinto Piolin narrado por ele mesmo. O artista fala de sua carreira no circo, de seu relacionamento com os modernistas e apresenta um número com o palhaço Tony.

Após a sessão, Suzana Amaral vai comentar o documentário que dirigiu no início de sua carreira nos anos 70, quando ainda cursava cinema na ECA. Trata-se de um trabalho de iniciante, é o 2o filme dirigido pela cineasta, embora já se perceba o que viria a ser a sua dedicação para com a sétima arte.

SANTA SANGRE - dia 22 de Abril

(Santa sangre, 1989, México/Itália, cor , 118'- exibição em DVD)

Direção: Alejandro Jodorowsky

Elenco: Axel Jodorowsky, Sergio Bustamante, Thelma Tixou, Sabrina Dennison

Um sádico diretor de circo mutila a esposa depois que ela o flagra com outra mulher. O filho do agressor testemunha tudo e, traumatizado, é internado num manicômio. Anos mais tarde, mãe e filho se reúnem para uma aliança sangrenta e herética.

Após a sessão, o filme será comentado por Maria Alice Vergueiro, atriz que se tornou conhecida pela nova geração através de "Tapa na Pantera", está dirigindo a peça "As três velhas" de Jodorowskyi com estréia prevista para agosto.

O PROFETA DA FOME - dia 29 de Abril
(São Paulo, 1970, 35mm, pb, 93 min)

Direção: Maurício Capovilla

Elenco: Maurício do Valle, José Mojica Marins, Júlia Miranda,

O faquir Ali Khan, principal atração de um circo decadente que percorre o interior paulista, provoca a revolta do público ao se recusar a levar adiante um número em que deveria comer carne humana. Partindo para outra cidade, decide apresentar seu derradeiro espetáculo.

Após a sessão, o filme será comentando por José Mojica Marins, que interpretou no filme o faquir Ali Khan, personagem inspirado no faquir Silk que, por várias vezes jejuou no Paissandu e entorno, e de quem Mojica foi amigo pessoal.

CAFÉ DOS ARTISTAS

Sempre às segundas feiras a partir das 15h00

Homenagem ao "Café dos Artistas" - encontro entre artistas e empresários circenses que ocorre, desde o início do século XX, no Largo do Paissandu, às segundas-feiras.

Cronograma

5 de abril - Dando continuidade ao programa "Memória Oral do Circo Brasileiro", o Centro de Memória do Circo entrevista a curitibana Denise Wal e o baiano Jailton Carneiro, artistas circenses do Cirque du Soleil que integram elenco do espetáculo em turnê pelo Brasil

12 de abril - Programa "Memória Oral do Circo Brasileiro" entrevista Alcebíades Albano Pereira, filho de Albano Pereira, o Fuzarca, e neto de Alcebíades Pereira, parceiro de Piolin na década de 1920, e bisneto de Albano Pereira - um dos maiores empresários da história do circo brasileiro.

19 de abril - Bate papo com Marlene Querubim, empresaria circense, diretora fundadora do Circo Spacial, da Academia Brasileira de Circo e da União Brasileira de Circos Itinerantes - UBCI, que estará autografando os livros de sua autoria "Marketing do Circo" (2003), "Coração na lona" (2007) e "Momentos mágicos - poesia" (2009), todos da editora Orion

26 de Abril - Programa "Memória Oral do Circo Brasileiro" entrevista Dayse Seyssel Piro Barreto e Neide Seyssel Piro Parasmo, da tradicional família Seyssel que, entre outros artistas, gerou Waldemar, o palhaço Arrelia. Dayse, que nasceu no Largo do Paissandu, no início da década de 1930, quando o circo de sua família ali fazia temporada, fez parte da primeira corporação feminina da Guarda Civil, em 1956.