segunda-feira, 21 de junho de 2010

Carta de um esposo... "E se fosse com você?

Goiânia, 26 de novembro de 2009.

Meu nome é Thiago. Minha esposa foi assassinada no dia 23 de setembro de 2009. Polyanna Arruda Borges Leopoldino, uma publicitária de enorme talento, uma pessoa de bem e uma cidadã exemplar. Ela amava a vida. Ela produzia crescimento e arte para a sociedade. Incentivava empresários e estudantes, se preocupava em ajudar pessoas carentes, tinha uma vida íntegra, dedicada ao bem ao próximo e à fé em Deus. Tinha sonhos para realizar, queria ter filhos e criar projetos de boas ações para tornar o mundo melhor.

O motivo dessa carta não é apenas compartilhar com você a minha dor. Quero dividir sim o vazio que é perder uma pessoa amada de forma tão cruel. Mas o motivo maior é dizer pra você que isso acontece todos os dias ao nosso lado, mas a gente finge que não vê e continua seguindo em frente sem fazer nada para promover mudanças.

É, mas agora aconteceu comigo. Minha esposa foi morta cruelmente com 8 tiros, sem motivo algum. Ela foi abordada quando ia para a Universidade Católica de Goiás palestrar para jovens universitários sobre empreendedorismo, consciência ambiental e social, lema da agência de propaganda que ela criou e liderou com muito talento e amor por 5 anos.

Há 2 meses a polícia investiga o caso, mas ainda não tem respostas.

E se fosse com você? Se tivessem matado sua esposa, seu esposo ou sua filha? Como você se sentiria? Como seria o seu Natal esse ano? Como seria a sua vida daqui para frente? Você pode se por no meu lugar por um minuto?

Só de imaginar dá calafrios não é…

É, hoje eu sinto na pele, na alma e no coração como é o mundo que a gente vive. E eu, que mudava de canal pra não ver violência no noticiário, agora vivo isso 24 horas por dia. Minha vida perdeu o sentido, eu perdi minha mulher que amava e agora não posso mais mudar o que já aconteceu.

Mas amanhã, meu caro amigo ou amiga, pode ser você ou alguém que você ama a próxima vítima!

Será que não podemos fazer nada pra tentar mudar isso?

Será que a corrupção e a violência são maiores que a fé e a vontade de fazer o bem nesse mundo?

O meu apelo é para que não mude de canal ou tape os ouvidos. Leia essa carta, reflita, sofra um pouco a minha dor se for possível. Veja o que acontece dentro de você, dentro da sua casa. Muitas vezes o crime começa dentro dela. Nós, a classe média, a classe intelectual, por incrível que pareça, sustentamos esse mundo de drogas, tráfico, armas, roubo, corrupção e impunidade.

Abram os seus olhos de uma vez!

Vamos deixar de ser hipócritas e pelo menos uma vez na vida olhar para o que acontece diante dos nossos olhos.

Minha vontade é de lutar em união com aqueles que desejam um mundo mais seguro para nossas famílias, infelizmente ainda não sei como. Talvez só de falarmos sobre isso já estejamos dando o primeiro passo. Então você empresário, jornalista, publicitário, funcionário público, estudante que estiver lendo essa carta, abra os olhos, abra a boca, reclame da nossa situação. Ajude-me a dizer pra todo mundo que nós não queremos mais viver à mercê da injustiça, da impunidade, da violência e da corrupção do nosso país.

Desculpem o desabafo.

Obrigado.
Thiago Leopoldino

Nenhum comentário: